Resultados validados cientificamente

HIDROBIKE NA BANHEIRA DE HIDROMASSAGEM

A - Generalidades, análise dos dados científicos

O fabricante de banheiras hidromassagem com bicicleta estática associou-se com o laboratório AME2P (Laboratório das Adaptações Metabólicas ao Exercício em Condições Fisiológicas e Patológicas) para estabelecer uma visão objetiva dos benefícios da prática da hidrobike em geral e da Aquafit EASY em particular.

Ao analisar a investigação científica, identificam-se mais de dez publicações sobre os efeitos da prática de um exercício em imersão, em particular a pedalar (Cf. Bibliografia em anexo).

Sobre o efeito benéfico de um exercício em imersão, aparece:

1. A pressão hidrostática na parte inferior do corpo exerce um efeito de drenagem sobre as pernas, fazendo com que um volume de sangue de cerca de 700 ml suba até à caixa torácica. O resultado é a redução da frequência cardíaca e da percepção de esforço (Cornelly et al - 1990, Drerssendorfer et al - 1976).

2. Uma comparação entre o esforço durante um exercício terrestre e durante um exercício subaquático equivalente mostra (Bréchat et al - 1998) um aumento de 25% no consumo de oxigénio quando o exercício é realizado na água, o que leva a um maior consumo de energia.

3. O efeito da temperatura da água na percepção do esforço tem sido estudado (Toner et al - 1986, Fujimoto et al - 2016), indicando uma sensação muito mais favorável em água fria (18° - 20°C) versus uma neutralidade térmica (33° - 34°C). O esforço sentido em água mais fria sendo menor, o paciente fica mais envolvido.

4. A variação da resistência de pedalagem do tipo " interval training " é mais adequada do que os protocolos de intensidade estável (Brasil et al - 2011), numa perspetiva de gasto de calorias.

B - Experiências realizadas na banheira Aquafit EASY

1. Sobre a insuficiência venosa: (observações realizadas pelo gabinete de fisioterapia K2SP)

Critérios:

- Para pessoas que sofrem de pernas pesadas, causando inchaço.

Condições :

- 6 sessões, ou seja 2 sessões por semana durante 3 semanas.

- Sessões de 20 minutos em água a 20°C com jactos de água nível 1 e resistência nível 1 para um aumento do ritmo cardíaco.

Resultados:

Notamos 4 grandes efeitos fisiológicos:

- Efeito bomba: pedalar provoca uma alternância de contracções e de relaxamento ao nível muscular, produzindo um efeito de bomba no sistema venoso de retorno, expelindo o sangue para o coração. A cada pedalada, a planta do pé, contendo veias grandes, é esmagada a cada pressão no pedal, expelindo o sangue para o coração.

- Efeito de impulso no sistema circulatório: a prática da hidrobike permite um aumento da frequência cardíaca que acelera a circulação sanguínea e evita a estase venosa.

- Efeito pressoterapia: a imersão em água (aprox. 1 m de profundidade) permite exercer pressão sobre os membros inferiores (aprox. 100 mm Hg) que é reforçada pela pressão dos jactos. Favorece uma boa circulação de retorno venoso.

- Efeito vasoconstritor: a possibilidade de praticar em água quente ou mesmo fria, a cerca de 20°C, permite a vasoconstrição e, portanto, um melhor retorno venoso.

2. Sobre os joelhos operados inflamados:

Critérios:

- Os joelhos operados < 3 meses.

Condições:

- Sessão de 15 min em água a 15°C, com uma velocidade de 50 RPM, uma massagem máxima da frente para trás e lateral, com uma resistência muito reduzida.

Resultados:

- Impacto importante sobre os sinais inflamatórios com diminuição da dor (-0,4 pontos na Escala Visual Analógica), da  temperatura da pele (-6° em média) e da hidrartrose (1 a 5 cm). Há também um aumento significativo da flexão, com uma média de 8,6° após a sessão.

Conclusões do fisioterapeuta (Gabinete K2SP):

- “Quando se trata de um joelho pós-operação com sinais ainda inflamatórios, é preferível realizar a reabilitação articular numa hidrobike em banheira de hidromassagem com água fria, o que reduz a inflamação (gerada pelos movimentos), e ao mesmo tempo ganha-se mais em flexão do que numa bicicleta tradicional.”

3. Sobre o peso e as capacidades físicas dos pacientes obesos: 

(observações realizadas pelo laboratório AME2P com a Universidade Clermont Auvergne, o Campus Universitaire des Cézeaux, o CHU Clermont-Ferrand / Service d'exploration fonctionnelle et de médecine du sport, o Centre de Recherche en Nutrition Humaine (CRNH Auvergne))

O programa foi realizado em uma dúzia de pacientes com peso entre 87 e 100 kg. Previa apenas 3 sessões por semana durante 7 semanas, sem qualquer outra alteração em termos de dieta ou de exercício físico.

Os resultados mostram uma perda de peso de quase 4 kg, uma diminuição do IMC de 34 para 33 e uma redução significativa da circunferência do cinto.

As capacidades funcionais são claramente melhoradas com um ganho na distância percorrida no teste de caminhada TM6, assim como uma melhoria na percepção da dificuldade no esforço (a Série de Resistência de Equivalência passa de 4,5 para 3), e menos desconforto respiratório (Dispneia passa de 5,5 para 3).

Acima de tudo, notamos um forte empenho dos pacientes que permanecem assíduos nesta prática individualizada e confortável em comparação com as práticas ou atividades tradicionais terrestres ou atividades numa piscina coletiva.

4. O efeito da hidromassagem no consumo de energia:

O protocolo realizado pelo laboratório AME2P em 8 mulheres jovens acima do peso mostra um consumo de 350 kcal durante uma sessão e mede que o uso de jactos de hidromassagem aumenta o consumo de energia de 20% (medido com e sem jactos).

Nessa ocasião, também foi observada uma menor ingestão de energia (-15%) após o esforço, quando os jactos de hidromassagem são utilizados.

5. Sobre a recuperação pós-esforço :

A recuperação numa Aquabike Easy é mais eficaz do que a recuperação em imersão simples, ativa ou passiva?

Critérios: Grupo de 10 futebolistas semi-profissionais com idade média de 22 anos.

- Durante 5 semanas.

Condições: 90 minutos de treino intensivo tradicional.

- Comparação dos 4 protocolos de recuperação:

  Aquafit Easy /água (fria) / ativo (wattbike) / passivo (alongamentos)

- Controlo / Medida: Medida de desempenho com o Pré-teste e Pós-teste +24 h:

- Salto de agachamento, 20 m arrancamento da posição imobilizada, 20 m de teste de sprint (Cazorla).

- Medida sentida por RPE e DOMS antes/depois do treino, após a recuperação e após 24 horas.

Conclusões : Aquafit Easy permite uma recuperação mais rápida e eficiente do que os métodos tradicionais, combinando os benefícios térmicos da água, com os benefícios das massagens dos jactos, com os benefícios da pedalagem sobre os músculos.

Desaparecimento do cansaço 24 horas após o esforço.

Fontes:

  • Bansi J, Bloch W, Gamper U, Kesselring J. Training in MS: influence of two different endurance training protocols (aquatic versus overland) on cytokine and neurotrophin concentrations during three week randomized controlled trial. Mult Scler. 2012; 19:613±21. https://doi.org/10.1177/1352458512458605 PMID: 22936334 

  • Bansi J, Bloch W, Gamper U, Riedel S, Kesselring J. Endurance training in MS: short-term immune responses and their relation to cardiorespiratory fitness, health-related quality of life, and fatigue. J Neurol. 2013; 260:2993±3001. https://doi.org/10.1007/s00415-013-7091-z PMID: 24036849 

  • Boidin M, Lapierre G, Paquette Tanir L, Nigam A, Juneau M, Guilbeault V, et al. Effect of aquatic interval training with Mediterranean diet counseling in obese patients: results of a preliminary study. Ann Phys Rehabil Med. 2015; 58:269±75. https://doi.org/10.1016/j.rehab.2015.07.002 PMID: 26233941 

  • Brasil RM, Barreto AC, Nogueira L, Santos E, Novaes JS, Reis VM. Comparison of physiological and perceptual responses between continuous and intermittent cycling. J Hum Kinet. 2011; 29A:59±68. https://doi.org/10.2478/v10078-011-0060-7 PMID: 23487483 

  • Brechat PH, Wolf JP, Simon-Rigaud ML, Brechat N, Kantelip JP, Berthelay S, et al. Influence of immersion on respiratory requirements during 30-min cycling exercise. Eur Respir J. 1999; 13:860±6. PMID: 10362054 

  • Chen AA, Kenny GP, Johnston CE, Giesbrecht GG. Design and evaluation of a modified underwater cycle ergometer. Can J Appl Physiol. 1996; 21:134±48. PMID: 8727476 

  • Connelly TP, Sheldahl LM, Tristani FE, Levandoski SG, Kalkhoff RK, Hoffman MD, et al. Effect of increased central blood volume with water immersion on plasma catecholamines during exercise. J Appl Physiol (1985). 1990; 69:651±6. 

  • Dressendorfer RH, Morlock JF, Baker DG, Hong SK. Effects of head-out water immersion on cardiorespiratory responses to maximal cycling exercise. Undersea Biomed Res. 1976; 3:177±87. PMID: 969022 

  • Fujimoto T, Sasaki Y, Wakabayashi H, Sengoku Y, Tsubakimoto S, Nishiyasu T. Maximal workload but not peak oxygen uptake is decreased during immersed incremental exercise at cooler temperatures. Eur J Appl Physiol. 2016; 116:1819±27. https://doi.org/10.1007/s00421-016-3438-3 PMID: 27456478 

  • McArdle WD, Toner MM, Magel JR, Spina RJ, Pandolf KB. Thermal responses of men and women during cold-water immersion: influence of exercise intensity. Eur J Appl Physiol Occup Physiol. 1992; 65:265±70. PMID: 1396657 

  • Sheldahl LM, Buskirk ER, Loomis JL, Hodgson JL, Mendez J. Effects of exercise in cool water on body weight loss. Int J Obes. 1982; 6:29±42. PMID: 7068314 

  • Toner MM, Drolet LL, Pandolf KB. Perceptual and physiological responses during exercise in cool and cold water. Percept Mot Skills. 1986; 62:211±20. https://doi.org/10.2466/pms.1986.62.1.211 PMID: 3960662 

  • Yazigi F, Pinto S, Colado J, Escalante Y, Armada-da-Silva PA, Brasil R, et al. The cadence and water temperature effect on physiological responses during water cycling. Eur J Sport Sci. 2013; 13:659±65. https://doi.org/10.1080/17461391.2013.770924 PMID: 24175730 

 
  • Facebook
  • LinkedIn
  • Instagram

©2019 por O'ZENTEJO, marca registada da AZULTEJO, unipessoal LDA. NIPC: 515652768

Capital social 10.000€. Avenida 24 de Julho, 90A 1200-870 LISBOA.